Falemos Sobre Drogas...

by - 13:02:00




Às vezes penso no quão incrível é ter neste planeta milhares de espécies de plantas que nos curam e alteram a nossa consciência. E, misturando algumas dessas plantas, amplificamos ou danificamos os seus potenciais. A Natureza é muito poderosa e é nas plantas que temos impregnada a pureza desta, a capacidade de retornar à conexão.


Tal como todos vocês, toda a minha vida fui ensinada que as drogas são más. Que destroem famílias, deterioram o corpo e a mente.


À medida que fui crescendo e aprendendo sobre variados temas e em especial sobre arte, entendi que os artistas usavam as drogas para ver além, para transcender e aumentar o seu potencial criativo. Pensei: "Usar as drogas? Mas não bastava uma vez para que a pessoa ficasse viciada na substância?"

Esta é uma das várias crenças que nos plantaram no subconsciente para ver as drogas como algo nocivo e proibido.



Li em algum lugar que as drogas podem ser usadas como um cientista usa um microscópio. Para conhecer melhor algo e vê-lo de uma perspetiva diferente da que está habituado, o cientista amplia o objeto e descobre um microcosmos dentro dele. Entende que isso vai mudar completamente a sua maneira de ver aquele objeto, e utiliza esta maneira nova de ver para analisar e estudar.


O mesmo acontece com uma experiência psicadélica. A pessoa entra num estado diferente de tudo o que já viu ou experienciou na vida inteira, e desse momento adiante vai lembrar-se dessa perspetiva diferente e isso muda a maneira como vê a vida em geral.



Tudo muda constantemente. Não precisamos ficar presos num conceito ou numa experiência específica. Mas é o conjunto de experiências que altera a nossa maneira de ver a nossa vida como um todo.

Alguém (os media? a escola? a igreja?) nos prendeu num conceito único de como ver a vida e variados temas, incluindo as drogas. E esta estandardização de crenças prendeu-nos numa maneira unificada de ver as coisas, como se todas as outras possibilidades fossem ridículas.



Quero dizer, prendem-nos se nós deixarmos. A partir do momento em que abres a tua mente para a existência de infinitas possibilidades, permites-te viver da maneira que realmente vieste para viver: livremente.


Há pessoas que, quando se fala em drogas, sexo, política ou religião, consideram uma opinião diferente daquela a que foram treinadas como sendo impossível, irrealista e até mesmo ofensiva, como se a nossa opinião, a nossa visão de ver as coisas, fosse um ataque pessoal à outra pessoa.

Quem não quer ver apenas tem medo de ter o seu mundo abalado, as suas crenças viradas de cabeça para baixo, a sua visão de tudo ser relativizada e diminuída a uma simples teoria. Mas a verdade é que cada um vive a realidade em que acredita.

Alguém que vê as drogas como algo proibido e ofensivo, terá experiências que lhe confirmarão essa crença. Pelo contrário, alguém que as vê como a porta de saída para uma realidade incómoda, viverá as drogas como uma mera escapatória para o seu dia a dia.

Fomos treinados a ver os alucinogénios como uma fuga para os problemas da vida. Mas as pessoas esquecem-se que o mesmo se faz com o tabaco, o álcool e até a pornografia. Mas estes últimos foram normalizados e aceites como um meio socialmente plausível para esquecer aquilo que nos incomoda.


Mas tudo isso é uma ilusão. Nenhum desses meios nos vai libertar do que nos incomoda: pensamentos negativos, um padrão treinado que nos leva a ter uma perspetiva incómoda da vida em geral. E esse problema resolve-se através do alinhamento com o Universo, através do treino de novos pensamentos, e isso é algo que temos de fazer no silêncio da nossa mente, com um corpo relaxado e sem distrações. Ou seja, o trabalho mais importante que fazemos mentalmente, fazemos sóbrios.

Na verdade, as drogas não são boas nem más. A noção de certo ou errado é algo que cada um decide, mas não cabe a ninguém julgar ou punir outra pessoa pelas ações que toma, porque tudo aquilo que fazemos tem como finalidade o nosso Bem-Estar.

As drogas são neutras. A Natureza é cheia de mistérios para descobrir, mas apenas é do interesse de quem tiver uma mente aberta e desobstruída de preconceitos.

É surpreendente para mim como o governo nos fez ver plantas como algo que destrói vidas e pretexto para nos enfiar na cadeia.



Também há uma grande diferença entre substâncias naturais e substâncias criadas em tubos de ensaio num laboratório. Há misturas que são feitas com a finalidade de nos curar e beneficiar, e outras que são feitas simplesmente para vender. E o nosso corpo é sagrado demais para não sabermos o que estamos a consumir.

A minha visão das drogas é que elas são uma maneira de nos fazer ver além do que parece, que nos mostram que a vida não passa de uma possibilidade e que existem milhares de mundos que não conseguimos sequer ter uma ideia de como são, mas que existem, e estão ali ao nosso alcance, se abrirmos a mente.


A criatividade pode ser aguçada de mil e uma maneiras, e a experiência psicadélica é apenas uma delas.

Espero que tenham gostado do post,
Cláudia

You May Also Like

0 comentários

Pages