Confia no teu Guia Interior

by - 17:07:00


Uma coisa que todos devemos saber é que nós somos o nosso próprio guia: somos as respostas que procuramos, o professor e o aluno ao mesmo tempo.


A intuição é a luz que guia o nosso caminho, e um dom tão importante deveria ser treinado desde que nascemos. Instinto, anjo da guarda, impulso, o que lhe quisermos chamar: é a energia que nos move para a frente. Aqui ficam algumas razões que explicam porque devemos confiar no nosso guia interior.


Vamos falar sobre sincronia. Acreditemos ou não, ela existe, e é o que torna tudo neste mundo harmonioso e a funcionar no ritmo perfeito, de acordo com as vontades e hábitos das pessoas.

Em casos extremos é quando vemos que ela funciona, como quando nos vem a inspiração de virar para uma rua diferente daquela que é nosso hábito, e mais tarde descobrimos que se tivéssemos virado para o percurso habitual, íamos apanhar um trânsito descomunal.

Isto acontece não porque recebemos uma mensagem do além a dizer: "vira ali", mas porque existe uma coisa chamada Consciência Coletiva.

Todas as coisas que já existiram ou foram imaginadas são reais, e falo isto de um ponto de vista energético. Todas as ideias que já foram pensadas ficam "guardadas" no espectro do Universo. Quem acredita em dimensões paralelas sabe do que é que eu estou a falar.

Por isso, se tens um desejo, e deixas nas mãos do Universo, ele vai-te dar exatamente aquilo que condiz com a tua vibração. O caminho está traçado, especialmente para ti.

Se vivemos num Universo em que tudo é possível (porque tudo o que é imaginado É real), quando temos um desejo ele está automaticamente realizado. Por muito simples ou arrojado que seja.

Já me aconteceu desejar algo, manter a ideia na minha mente. Depois, deixei o Universo tratar.

De repente, aconteceu. Subitamente eu tinha tido o impulso de fazer algo diferente do habitual, sem pensar no que estava a fazer, e quando aquilo surgiu na minha vida eu reconheci de onde vinha: fui eu que criei!

Isto acontece também com coisas negativas. Ser humilde está em reconhecer que nós somos criadores da nossa vida, incluindo das coisas que nos fazem mal.

Por exemplo, já alguma vez disseste mal de uma pessoa, ou pensaste coisas negativas sobre ela, e quando te encontraste com ela palavras saíram da tua boca que nem pensaste antes de dizer? As palavras já estavam criadas. Tu sintonizaste-te no ódio, e recebeste a inspiração de expressar ódio.

Normalmente é depois dos eventos acontecerem que nós nos damos conta de onde é que eles vieram, que nós é que os criámos, a partir dos nossos pensamentos e sentimentos. As experiências da nossa vida são a mistura de tudo o que acontece dentro de nós, uma mistura que fica forte o suficiente para gerar resultados físicos.

Por isso, se queres manifestar experiências positivas na tua vida, está atento.

O que mais importa é o teu interior: e é através das tuas emoções que tens o guia perfeito para onde queres ir a seguir.

Vê os teus sentimentos como um GPS: queres ir para outro destino, mas encontras-te aqui. Deves fazer o melhor do momento presente. Quanto melhor o sentimento, mais fluído e rápido é o teu caminho, e com menos paragens e obstáculos.

Por exemplo, estás no Porto e queres ir para Lisboa. Não é um caminho difícil, escolhes ir pela autoestrada e vais fazendo paragens para descansar ou pôr gasolina, mas fazes o teu melhor durante o percurso, porque sabes que vais chegar a Lisboa em breve.

Não ficas aborrecido porque estás a meio do caminho, e achas que só por estares aqui que nunca mais vais passar deste ponto.

Então, porque fazes isso na tua vida? Porque estás aborrecido de não ter o carro dos teus sonhos agora, e achas que nunca mais o vais ter? Tudo pode acontecer, tudo é possível.

Há pessoas que dizem que acreditar no destino/caminho que já está traçado é o mesmo que acreditar em milagres. Mas, se formos falar assim em milagres, já é um milagre tu existires. É um milagre fazeres parte da pequena percentagem da população mundial que vive com mais de 1€ por dia. É um milagre o sol nascer todas as manhãs.

E se essas coisas grandiosas são vistas como o rumo natural das coisas, viver a vida que desejas também deve ser: quer seja a conquistar tudo o que queres na vida, quer seja a viver mais despreocupado, a reclamar menos, a tirar o peso dos teus ombros e ser mais feliz.

Se seguires o teu instinto, irás perceber que estar de bem com a vida é a maneira correta de viver, porque é aquela que te traz mais conexão com o Todo, e contigo mesmo.

Cláudia

You May Also Like

1 comentários

Pages